COMIDA ESCRITA

Coração Ó tu que tens o coração nas mãos! Ouve os sinos enferrujados! Anunciam de lá as missas das atrocidades e dos sermões mal contados.  Tiranias cantadas e uns vinhos cuspidos atrás do altar das promessas. De palmadinha em palmadinha, vão entrando para ouvir - de coração - os missionários poderosíssimos, pioneiros na frívola sensação pacata de nada fazer. Basta sonhar,diz o padre do altar! Basta acreditar, diz o leigo defronte à Santa injustiça!  Não rezo e não entro. Faço e procuro. Abro o dicionário e vejo que "altar" rima com "pastar". Faz-se luz no meu cérebro! Deito-me e adormeço.  É isto um snack. Para comer de boca fechada.



A Cebolinha
Genialidade quente e amorosa na simplicidade nua e fria. Quanta magia no tempo do sóbrio acto! Quanta sobriedade na irrealista verdade absoluta de querer tudo e nada possuir! Quanta realidade na vida para lá do que está morto e enterrado! Quanta verdade renasce agora sobre o que se enterrou! Não há magia, sobriedade, realidade nem verd…

CNC 2015



Não venho aqui para vos escrever quem participou ou deixou de participar, isso a imprensa em geral ja se encarregou de o fazer, venho apenas escrever a minha perspectiva  enquanto profissional do sector (sem formalidades)

Este ano de todos os que tive presente provavelmente terá sido o mais provocador, os tempos assim o exigem.

Mais uma vez a organização de parabéns.

Por razões profissionais apenas estive presente no dia 9 (quinta feira), na qualidade de concorrente no concurso das sandes á portuguesa, que se revelou uma experiência muito satisfatória.

Nesta edição, a organizacão optou por apresentar profissionais menos conhecidos pelo grande publico,profissionais esses de excelente qualidade; Um "refresh" do painel bem recebido.


Vasco Coelho Santos (Foto:Edições do gosto/Paulo Amado)
Vitor Adão (Foto:Edições do gosto/Paulo Amado)

Um evento que visa acima de tudo promover a gastronomia nacional.

Contudo, aproveito o meu canal de comunicação para expressar o meu agrado com o que vi este ano, não me refiro apenas ás apresentações, que foram sempre de bom nivel no geral, mas sim no "back office", um bom ambiente, de entreajuda, profissionais humildes e dedicados.

Como o Sr Paulo Amado referiu "eles (os cozinheiros) já estão a voltar do estrangeiro" voltam alguns, voltam com outras lições, voltam com mais fé , dizem presente no movimento.

Actualmente existe uma mudança clara de atitude nesta geração, a intitulada "old school" nao é mais a mesma.

Está tudo a postos para cada um dar o seu contributo para a tão aclamada mudança.

A gastronomia Portuguesa está decididamente bem entregue.