ALAIN DUCASSE AU PLAZA ATHÉNÉE - PARIS

Entre milhões de restaurantes que existem no mundo inteiro este é especial e diferente, não só pelo chefe que assina a carta como pela vista para o mítico monumento - Torre Eiffel  
O hotel foi inaugurado em 1911 e conta hoje com 154 quartos, vendidos em média por 1100 Eur./noite.
A entrada deste hotel é imponente, não deixando quaisquer dúvida relativamente ao que se poderá encontrar no seu interior. 

No respectivo lobbie cumprem-se rigorosamente todos os salamaleques característicos neste tipo de estabelecimentos.

A decoração da sala de jantar é majestosa, mas ao mesmo tempo sóbria. No centro está um enorme candeeiro com cristais Swarovski que deixa qualquer pessoa boquiaberta.

A cozinha é chefiada por Romain Meder – um discípulo de Hélène Darroze e na pastelaria é a reconhecida Jessica Prealpato quem assume os comandos.



A equipa do restaurante é constituída por cerca de 20 empregados de mesa e 20 cozinheiros para, aproximadamente, 20 clientes.
O serviço é rápido e pouco aborrecid…

A praga


Chegou tímida ao nosso Portugal, em meados dos anos 90; com o agravamento da crise económica despertou ainda mais o interesse da comunidade empresarial. Viram nela uma oportunidade perfeita gerarem  "cash flows" mais avultados.
Um belo presente envenenado esse, que chegou da América. Anunciada em placares gigantes que ocupam meia rua, até os transeuntes mais distraídos neles tropeçam. Quem é atraído julga ter descoberto a galinha dos ovos de ouro.
São presentados com produtos de baixíssima qualidade onde os conservantes e corantes abundam.No interior de tais estabelecimentos sobra apenas espaço para um corredor estreito, por onde passam os empregados atarefados, dividindo o tempo entre a arca congeladora e as vitrines, onde são colocados aqueles bolinhos com aspecto vidrado, fruto dos 18 graus negativos durante o seu armazenamento.
A clientela amontoa-se nas linhas de self, sorridentes com os seus tabuleiros de plástico, esperando a sua vez para o pagamento; umas moedas são suficientes, por fim é só abrir o saquinho dos talheres, et voilá bon appétit.‎
Caro leitor, por mais irónico que possa parecer este texto, retrata infelizmente a realidade, intrusiva e destrutiva nos dias de hoje.
Destrói a reputação da nossa gastronomia, asfixia os estabelecimentos que trabalharam bem e cobraram o justo e que hoje na sua grande maioria são forçados a aderirem também ao movimento, oferecendo entrada (um palito e um croquete), prato principal (fêvera de porco com bastante óleo), sobremesa (bolo com 2 dias), cafés (de cafeteira), um rebuçadinho para o pequenote e ainda um lugar de estacionamento, tudo por apenas 3,92€.

Essa praga chama-se "Low-Cost"!

Sejamos orgulhosos, sejamos justos!