CRIATIVIDADE (IN)CONSCIENTE

Publicado originalmente no ETASTE
Surge de forma consciente ou inconsciente. A parte consciente, a que controlamos, é gerida pelo lado mais racional, normalmente fechada sobre si. É o resultado do natural processo cognitivo. Esta pode ser afetada por fatores externos e até próprio estado de espírito. A parte inconsciente, a que não dominamos e nem sequer conhecemos verdadeiramente, é a responsável pelo nosso lado mais infantil e primitivo de toda a associação de ideias. Juntas são nada mais nada menos que sistemas organizados, quase automáticos na forma e no lugar. Servem-nos para agilizar o processo que se quer tão lento quanto possível.
Lentidão é a palavra-chave. A rapidez perturba quase sempre a tomada de decisões. Por isso não é bem-vinda, apenas na execução. A lentidão é por isso benéfica, pois resulta frequentemente, em vários processos difusos que se acumulam na desordem. A confusão ou mudança de perspetiva é obrigatória. A partir destas haverá, naturalmente, um início, e com is…

Vieira no pinhal


Uma entrada fresca ideal para os dias mais quentes com um vinho branco bem fresco, produtos bastantes simples,elaborações simples, apenas tentei tornar a apresentação mais apelativa.

-Vieira temperada com flor de sal,corada num sautê bem quente.

-Salada quente de maça e gengibre, maça (em brunesa) salteada em manteiga,posteriormente adiciona-se um pouco de açucar e deixa-se caramelizar, juntando depois um pouco de gengibre muito bem picado (não muito senão torna-se agressivo para o palato) um pouco para dar a sensação de frescura.

-Salada fria de tomate pepino e manjericão temperado com sal fino e azeite.

-Redução de vinagre balsamico para decorar.