CRIATIVIDADE (IN)CONSCIENTE

Publicado originalmente no ETASTE
Surge de forma consciente ou inconsciente. A parte consciente, a que controlamos, é gerida pelo lado mais racional, normalmente fechada sobre si. É o resultado do natural processo cognitivo. Esta pode ser afetada por fatores externos e até próprio estado de espírito. A parte inconsciente, a que não dominamos e nem sequer conhecemos verdadeiramente, é a responsável pelo nosso lado mais infantil e primitivo de toda a associação de ideias. Juntas são nada mais nada menos que sistemas organizados, quase automáticos na forma e no lugar. Servem-nos para agilizar o processo que se quer tão lento quanto possível.
Lentidão é a palavra-chave. A rapidez perturba quase sempre a tomada de decisões. Por isso não é bem-vinda, apenas na execução. A lentidão é por isso benéfica, pois resulta frequentemente, em vários processos difusos que se acumulam na desordem. A confusão ou mudança de perspetiva é obrigatória. A partir destas haverá, naturalmente, um início, e com is…

Comida para pensar

Food for thought...
Pensar sobre el comer...
é das ultimas novidades dos livros de cozinha,e o último que entra este ano na minha prateleira.
Sobre o trabalho de Ferran adriá um dos fenomenos do nosso seculo em seu restaurante.Neste livro podemos encontrar menús, fotografias de pratos, opinioes de personalidades bem conhecidas como Heston Blumenthal.... Se quiser saber mais aconselho-o a comprar este fabuloso livro...