CONGRESSO DOS COZINHEIROS - 2018

Aconteceu no lx factory, em Lisboa, nos dias 1 e 2 de outubro.



Trata-se do Congresso Nacional de Cozinheiros, o qual reúne alguns dos melhores profissionais do sector a nível nacional e internacional.


A sua missão, encetada em 2005, mantém-se intacta: reunir o sector.


Não vou discorrer sobre cada uma das apresentações, realçarei apenas alguns pontos positivos e um menos positivo.  Não estive, com muita pena minha, até ao final do segundo dia.  De uma forma geral, este ano, o congresso assentou em três ideias: produto, sazonalidade e desperdício.







Girona 2009

Repentinamente, no espaço do primeiro trimestre de 2009, a cozinha portuguesa pôs-se no mapa, através da presença em conceituados eventos espanhóis. Madrid, San Sebastián e Girona representam marcos na divulgação internacional da cozinha contemporânea portuguesa.
Tendo o chefe Luís Baena (Tivoli Hotels) por anfitrião da apresentações, estiveram perante a plateia Fausto Airoldi (evolução Gastronómica), Bertílio Gomes (na altura no agora extinto VírGula), Henrique Sá Pessoa (Alma), Vítor Sobral (Terreiro do Paço), Ljubomir Stanisic (100 maneiras, agora no Bairro Alto), e o já mencionado José Avillez. De uma assentada, mais de uma mão cheia de cozinheiros nacionais (à excepção de Ljubomir, jugoslavo de nascença mas já a trabalhar no nosso território há vários anos), tiveram a oportunidade de mostrar como está a nossa cozinha.
A presença no certame contou ainda com a participação de Vítor Matos, chefe executivo do Tiara Park Atlantic Porto, Alexandre Ferreira (Escola de Hotelaria de Lamego), Jerónimo Ferreira (Sheraton Porto), Álvaro Costa (Pestana Porto), Marco Gomes (Foz Velha), Vítor Matos e Luís Américo (Degusto).