PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU, SANTIFICADO SEJA O VOSSO..

Digamos que, em pleno séc. XXI, o tema «Motivação» continua a ser tabu. Para espanto ou desagrado do leitor este continua a ser um debate que estremece os grandes velhos do Restelo, de sorriso amarelo. 
“Gosto de falar no plural, eu e a minha equipa“ ou "não me posso esquecer da minha equipa, eles são o mais importante para mim" estescontinuam a ser dos jargões mais utilizados para agrado das revistas cor-de-rosa e consequente vénia dos transeuntes menos informados, cá do burgo. A ironia está lá sempre, disfarçada por entre algumas patacoadas nervosas. Por cá, do outro lado da civilização menos representada, embora mais representativa, existe um certo desprezo para com essas lindas frases (lindas mesmo!) , porque na prática, sabemos que se resume (na maior parte das vezes) a um mero SLOGAN político. Nos casos mais sensíveis uma lágrima pode cair do canto do olho, mas depois passa. 
Mas afinal o que é isso de motivação ? Pagar uma bifana e uma palmadinha nas costas? Não. Um sor…

Texturas de cenoura

Para a creme de cenoura:
500 g de cenouras
500 g de nata fresca líquida
400 g de leite
400 g de água
1 cebola (pequena)
10 g de manteiga
sal e pimenta
Para as telhas de cenoura:
100 g de sumo de cozedura das cenouras
40 g de óleo virgem extra
Zestes de laranja
2 chalotas
25 g de maizena
sal

Para a gelatina de Laranja:
2 laranjas em sumo
10 cl de azeite virgem extra
2 folhas de gelatina
1 flor de laranjeira

Para o ar de cenoura:
3 cenouras
2 laranjas em sumo
3 g de lecitina de soja
Preparar o creme de cenoura:
Descascar e cortar as cenouras em rodelas regulares. Descascar e cortar a cebola grosseiramente.
Derreter a manteiga num sautê e fazer suar as cebolas seguidamente acrescentar as cenouras à fogo suave.
Quando as cebolas e as cenouras começam a libertar os seus aromas, acrescentar a água e o leite. Põem a fogo forte. Assim que ferver, reduzir o fogo e deixar cozer cerca de 25 min tomando atenção para que não ferva demasiado.
Uma vez as cenouras cozidas, reservam o sumo de cozedura para as telhas.
Passar a mix ás cenouras e as cebolas acrescentando cerca de 3 c. à sopa de sumos de cozedura e a nata fresca líquida.
Temperar com sal e pimenta seguidamente reservar.

Preparar as telhas de cenoura:
Cortar muito finamente zestes de laranja.
Verter o maïzena em copo misturador, o sumo de cozedura das cenouras, o azeite e uma pitada de sal. Acrescentar zestes.
Num sautê antiaderete verter 1 c. à sopa, de maneira a formar diferentes telhas de cerca de 10 cm de longo.
Logo que começarem a tomar cor, voltam e deixam cozer a outra face (como para crêpes).
Retirar delicadamente com o auxilio de uma espatula e reservam numa lugar seco.

Preparar a gelatina de laranja:
Põem a gelatina a mergulhar num líquido na água fria. Descascam as laranjas, cortam as extremidades e retiram na pele branca e as membranas. espremer as laranjas. Reservam zestes.
Aquecer um terço do sumo de laranja. Aos primeiros estremecimentos, secar a gelatina e acrescentam -la ao sumo de laranja.
Põem a preparação num copo misturador, acrescentar lá a flor de laranja, o azeite e uma pitada de sal.
verter em fomas acrescentando por fim zestes de laranja. Reservar uma noite ao refrigerador.

Preparar “o ar” de cenoura:
Descascar as cenouras e cortam-nas grosseiramente.
Descascar as laranjas e retiram a parte branca. Misturam o todo em inox.
Acrescentar a lecitina (ou o leite de soja) e colocar a mix de modo que forma uma espuma na superfície.
Deixar descansar um minuto.